The Clash – Super Black Market Clash (1993)

E pra fechar por hora o assunto Joe Strummer e The Clash, trago a baila uma das coletâneas mais queridas e desejadas pelos fãs da banda.

Alias, é um tipo de coletânea que todo fã adora, afinal, não é todo mundo que consegue acompanhar a voraz indústria da música e adiquirir todos os compactos que um artista lança, então quando os principais “lados B” de uma banda espetacular como essa saiu, fez todo mundo correr atrás.

Super Black Market Clash traz um apanhado irregular, mas com momentos absolutamente brilhantes, em especial com City Of The Dead, Pressure Drop (cover dos Toots And The Maytals) e The Prisoner, todas elas são lados B de compactos do primeiro álbum do Clash.

Tem algumas versões instrumentais e a mais bacana é Mustapha Dance, versão alternativa de Rock The Casbah.

Bem, falar mais o que?

O The Clash sobrevoou sobre os mortais com seu rock acima da média desde que surgiram, cometeu seus pecados como toda banda que ficou muito, muito famosa, e eles ficaram MUITO famosos, cometeu.

O importante é que o som do Clash, que nessa coletânea fica claríssima, é que eles foram talvez a principal banda branca a incorporar com propriedade os sons negros que pipocaram nos anos 70, em especial o Reggae, o Ska e o Dub.

Respeitados por todos, tinham muito mais musicalidade de vossas cartolas que todos os artistas punks contemporâneos (não precisa nem falar dessa geração, né? Só monstros, só banda boa, só disco bom e viva o punk rock), mas o The Clash tinha a visão além do alcance…

Anúncios


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s