Só surubinha não phode?

Unknown-5

A última do momento é a polêmica em torno do funk “Só Surubinha De Leve” do Mc Diguinho.

O funk tem sido alvo de diversos grupos feministas, simpatizantes e indignados em geral com o teor da letra e tem sido acusada de fazer apologia ao estupro.

O barulho foi tanto, que a música hoje foi banida de praticamente todas as plataformas de streaming (Deezer, Spotify, etc) e também do YouTube, ou seja, não dá pra escutar a “obra” e ter uma posição mais clara a respeito.

Não vou entrar na questão de analise de texto, contexto ou qual trecho faz apologia a estupro propriamente dito (eu diria que é o refrão).

Evidente que a letra é uma baixaria horrenda, no nível mais ralo imaginável, próximo a um estágio anterior ao do Homo Sapiens, desrespeitoso com mulheres, com homens, com trans e com qualquer pessoa que tenha olhos e ouvidos em funcionamento mínimo pra conseguir ler e ouvir essa “canção”.

Que o seu autor, que por sinal é também responsável por outras perolas como “Catucada”, “Sou Brabo na Catucada” e “Passa a Lingua e Lambe” não mereceria minha atenção, nem a sua e nem a de ninguém que tenha mínimo entendimento do processo civilizatório e da evolução da espécie humana.

Mas….

Aí vem o mas…

Acreditando piamente na democracia como um estado de direito, coberto das mais amplas liberdades por todos os lados, seguido de responsabilidades e deveres e na existência plena de dissonâncias vindas de todas as áreas e todos os setores da sociedade (política, cultural, comportamental, etc) e que a convivência das diferenças (gênero, sexualidade, religião, opinião, gosto musical, etc.) e o respeito absoluto a todas elas é que fortalecem a democracia não como algo imposto por um governo, arbitrado pelo estado, mas emanado da “polix”, entendido e praticado em qualquer esquina do Oiapoque ao Chui é que vejo com maus olhos esse tipo de cerceamento de liberdades.

Quem são essas empresas ou pessoas pra definir o que pode e o que não pode em suas plataformas? Como se define isso? Não é uma questão comercial? Se tá bombando e trazendo novos ouvintes e gerando receita, tá tudo certo, aí quando o barco vira e “pode” começar a pegar mal pra “marca/Branding”, tira do ar?

Eu só queria ouvir essa porcaria pra saber o quão lixo essa música é e não ouvi-la pra sair por ai com uma “validação” pra sair estuprando pessoas.

Estupradores de verdade não precisam de uma música pra isso: Woody Allen, Harvey Weinstein, Brett Ratner e mais milhões de anônimos que abusam e cometem crimes contra mulheres adultas ou crianças não precisam de trilha sonora alguma pra cometer seus abusos.

Agora estão estuprando a liberdade de expressão e nesse caso, ganha aplausos e claquete.

Fight fire, with fire… ou no do outro pode.

Quem se sentiu ofendido com a música tem também todo o direito e espaço pra protestar, xingar, mandar pro inferno, escrutinar, etc.

Não estou aqui defendendo a letra ou o conteúdo do Mc Diguinho (já escrevi o que penso no começo do texto), estou aqui defendendo a liberdade de se poder cantar ou falar sobre qualquer assunto, mesmo sendo contra o que acredito e gosto.

Uma das minhas músicas favoritas da minha juventude é “Cop Killer” do Body Count, que na época também foi censurada, perseguida, etc , mas que venceu essa barreira e foi mantida, dá pra se ouvir por ai e narra a história de um cara que sai por ai se vangloriando de ser um “matador de policiais”.

Como um legalista, defensor das instituições, acredito que “matar policiais” não é solução pra nada e repugno quem pensa o contrário, mas a música é boa pra cacete e eu adoro.

Dá pra listar diversas músicas com conteúdo impróprios e que adoro também (se for pro mundo do Rap dá umas 20 páginas de músicas desrespeitosas e ofensivas).

Por outro lado, se eu listar temas que acredito e respeito (amor, amizade, conhecimento, lealdade, etc) e músicas que versam sobre esses temas e eu pudesse banir do planeta, 95% do que foi gravado no mundo não existiria.

O crescimento e aprendizado de cada um se dá do entendimento dessas dissonâncias, da reflexão que pode ser colhida até em coisas pavorosas e que arte é representação da realidade, não a realidade em si.

Assim como tá errado Museu ceder a pressão de moralistas de plantão contra exposições “polêmicas”, tá errado igualmente banir uma canção por conta de seu tema.

Quer gostem ou não, liberdade de expressão é pra todos.

Abaixo a letra do Mc Diguinho:

Pega a visão, pega a visão
Pega a visão, pega a visão

Aquele pique, óh!
É o Selminho que tá mandando
Anda, chama!
É o Diguinho que tá mandando
Anda, chama!

Pode vim sem dinheiro
Mas traz uma piranha, aí!
(Pode vim sem dinheiro) (chama, chama)
(Mas traz uma piranha, aí!) (chama, chama)

Brota e convoca as puta
Brota e convoca as puta
Mais tarde tem fervo
Hoje vai rolar suruba

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Taca a bebida, depois taca a pica
Taca a bebida, depois taca a pica
Ta-taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

O ritmo do Diguinho é esse aqui, óh
Pega a visão, pega a visão
O ritmo do Selminho é esse aqui, óh
Aquele-aquele pique, óh

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Taca a bebida, depois taca a pica
Taca a bebida, depois taca a pica
Ta-taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

É o Selminho que tá mandando
Anda, chama!
É o Diguinho que tá mandando
Anda, chama!

Pode vim sem dinheiro
Mas traz uma piranha, aí!
(Pode vim sem dinheiro) (chama, chama)
(Mas traz uma piranha, aí!) (chama, chama)

Brota e convoca as puta
Brota e convoca as puta
Mais tarde tem fervo
Hoje vai rolar suruba

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Taca a bebida, depois taca a pica
Taca a bebida, depois taca a pica
Ta-taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

O ritmo do Diguinho é esse aqui, óh
Pega a visão, pega a visão
O ritmo do Selminho é esse aqui, óh
Aquele-aquele pique, óh

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Só uma surubinha de leve, surubinha de leve
Com essas filha da puta
Taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Taca a bebida, depois taca a pica
Taca a bebida, depois taca a pica
Ta-taca a bebida, depois taca a pica
E abandona na rua

Anúncios

One Comment on “Só surubinha não phode?”

  1. eve_desire disse:

    Por posts como esse que seu blog é ótimo! Onde mais citam Body Count?! rs


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s