Brahms / Mutter / Orkis – The Violin Sonatas (2010)

Na escala Richter do mundo da música clássica, as sinfonias de Brahms estão entre as mais poderosas, em especial a 1a Sinfonia. Pesadas, dramáticas, épicas.

Mas quando o assunto são seus quintetos para piano ou em especial suas sonatas, a riqueza melódica e a suavidade das mesmas, fazem cortar o coração e sublimam até a estratosfera, sai o drama mundial, entram o drama menor que intimo que atingem diretamente o coração.

Em 2010 a grande violinista Anne-Sophie Mutter se juntou a Lambert Orkis para gravar e executar três lindas sonatas para piano e violino do mestre alemão.

Brahms sempre foi muito inspirado para compor melodias únicas ao piano (talvez seu instrumento favorito), e o tratamento que os dois solistas deram a essas pequenas obras-primas é digno de constar nos registros como uma das gravações do gênero mais importantes de todos os tempos.

O Allegro amabile da sonata n2 em A maior op. 100 e o III Alegro molto moderato da sonata n.1 in G maior op. 78 na minha breve escala de proximidade com o sublime desconhecido além, alcançaram um degrau muito próximo de toda a felicidade suprema que a música clássica consegue causar num ouvinte desatento e imaturo como eu.

O disco como um tudo, causa esses arrepios em vários momentos e é uma parada obrigatória para quem quer mergulhar nesse vasto oceano da música clássica.

Beleza… beleza… beleza…

Anúncios


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s