Sugar – Copper Blue (1992)

Mais um disco da minha mocidade que chega a marca de 20 anos!

Parece que foi ontem que eu comprei o single de Helpless em uma loja de eletrônicos em Ciudad Del Este – Paraguay, cidade favorita dos sacoleiros brazucas e principal fornecedor informal de tranqueiras vendidas no centro de São Paulo e em quase todos os centros comerciais populares do Brazilzão.

Só para esclarecer, esse single que que eu comprei era original… ainda não havia a febre dos piratas e bootleg, só de shows e geralmente os melhores eram italianos.

A parte feito, Copper Blue marcou a estreia do Sugar, banda que o gênio Bob Mould faria após o fim do Husker Du, sua lendária banda oitentista que inventou o punk com sentimento.

Com o Sugar, o punk e hardcore foi estacionado em favor do comichão guitar muito em voga nessa época, e o que se ouve em todo o álbum é uma explosão de guitarras ardidas, espertas, comprimidas e agudas contrapondo canções pop rigorosamente perfeitas com todos os predicados necessários e aplicados desde os Beatles, passando por Big Star, Cheap Trick, The Knack, Buzzcocks, Teenage Fanclub, Pixies e distintos artistas que puseram pop simples e perfeito onde não cabia.

Copper Blue é power pop guitarristico sem firulas, bonito, com a mesma temperatura do começo ao fim, o que pode ser visto como um ponto negativo, mas como todas as músicas são incríveis, não há mal nenhum nisso.

20 anos se passaram, alguns aprenderam a lição com o professor Mould, mas a maioria se prendeu em chororos que não existiam e hoje o indie é muito mais bundão do que foi em outrora.

Se é que esse negócio de rock alternativo realmente exista ainda…


The Boys – Alternative Chartbusters (1978)

Cada revirada no baú da New Wave e do punk pop dos anos 70 pros 80 e não canso de descobrir maravilhas em cima de maravilhas.

A descoberta da vez foi a banda The Boys, que poderia ter sido muito maior do que foi, pois o som dos caras era impecável, comercial, pra cima sem ser bobo e muito, muito divertido.

Punk pop até o osso, alto, rápido, exatamente para os fãs de Ramones, Buzzcocks, Stiff Little Fingers e demais. Não fica nada a dever pra eles.

Altenative é o segundo e expetacular álbum dos caras e que poderia ter acontecido bonito… mas não rolou… eu não sei porque…

O álbum abre com Brickfield Nights, musica ideal para escutar enquanto você troca de roupa para a balada rock and roll.  T.C.P. hoje é a minha favorita do álbum, chega a quase ser dramática dentro do que uma banda punk consegue ser.

E o que dizer de Backstage Pass, U.S.I. e Not Ready?

Alias, não tem uma musica ruim nesse disco!

É um balsamo para os ouvidos sedentos por um bom rock rápido.

Inexplicaveis apagões que dão nas cabeças do mundo e que jogam pro limbo artistas como The Boys e um zilhao de outros…

Ainda bem que existe youtube, internet e vinil… vai atrás.